Quaquié?!

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Lovecraft


Devir
Março de 2006
Roteiro: Hans Rodionoff e Keith Giffen
Arte: Enrique Breccia
R$38,50
144 Páginas

Em uma de minhas visitas à loja especializada Gibi Jundiaí (Mais conhecida pelos seus frequentadores como a antiga Loja do Gibi.), me deparei com esse título que eu já namorava há tempos, desde minhas primeiras visitas ao local. Como estava me preparando para uma partida de RPG com os amigos, no mesmo dia, e era possível que a mesma utilizasse o sitema Call of Cthulhu, baseado nos livros do escritor de terror H. P. Lovecraft, decidi comprar o título. Mas essa compra foi ofuscada pelo título que a acompanhou, Xampu, de Roger Cruz. No entanto, essa minha falta de atenção ao título foi deixada de lado assim que comecei a lê-lo.

Para quem não conhece, Howard Phillips Lovecraft foi um grande escritor do gênero de terror, criador de diversas histórias que inspiraram e ainda inspiram os diversos escritores do gênero. Entre suas criações, está o deus alienígena Cthulhu, conhecido por tirar a sanidade dos homens que simplesmente o veem, além de matá-los, é claro.

A história do escritor é contada aqui como se todos os seus livros fossem baseados em um mundo oculto, coexistente com nosso, onde os seres mais aterrorizantes, descritos em suas histórias, realmente existem. Esses pesadelos, reais ou não, acompanham Lovecraft durante toda sua vida, envolvendo também aqueles ao seu redor.

Embora não tenha todo o terror psicológico que espero de obras baseadas nos trabalhos de Lovecraft, a arte de Breccia concede ao título um ar perturbador, principalmente quando trata da visão peculiar do protagonista em relação ao mundo oculto, seja esse real ou não. Definitivamente, a história tem um clima bastante macabro e a dúvida sobre a veracidade das visões do protagonista são constantes.

2 comentários:

BozoDel disse...

Vale comentar: esse Breccia é filho de Alberto Breccia, juntos desenharam La Vida del Che em 68 (saiu no Brasil pela Conrad há alguns anos). O pai também publicou algo relacionado ao Cthulhu.

Oesterheld, o roteirista de La Vida del Che foi assassinado pela ditadura.

Luana disse...

Sempre gostei de Lovecraft. Há uma beleza nas bizarrices que ele escreve que me atrai, podemos assim dizer. Essa beleza bizarra com certeza foi realçada pela arte de Breccia.