Quaquié?!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Dejá-Vù


Panini Comics
Maio de 2007
Roteiro: Youn In-Wan
Arte: Uma pá de gente (Sempre quis dizer isso depois do Bozo começar!)
R$14,90
226 páginas

Primeiro manhwa publicado pela Panini, um verdadeiro achado, pelo menos para mim, que o encontrei na época em que ainda era difícil para eu passar em bancas para comprar algo. Dejá-Vù é composto por seis histórias, sendo que as duas últimas são consideradas extras, sem relação com as quatro primeiras que formam um arco que conta uma história única, através de várias histórias. Calma, vocês já vão entender.

As quatro primeiras histórias têm como títulos as estações do ano, sendo a primeira Primavera, ilustrada porYang Kyung-Il. É aqui quecor começa o romance de nossos personagens principais, em uma história que se passa na Coréia dos tempos antigos, cheia de lendas e costumes diferentes. A seguir, temos Verão, história ilustrada por Yoon Seung-Ki, que se passa no Japão durante a guerra entre o país e a Coréia. Outono, desenhada por Kim Tae-Hyung, se passa nos Estados Unidos. Pelos traços realistas do desenhista, essa é uma das minhas histórias favoritas do arco. Para finalizar o arco, Inverno, ilustrada por Park Song-Woo, cuja história se passa em uma terra do futuro, mas não necessariamente tecnológica. O interessante é que, embora sejam histórias diferentes, com protagonistas diferentes, elas apresentam a idéia de continuidade através da idéia de reencarnação, e de como um amor pode durar e aguentar as dificuldades que cada uma de nossas passagens por aqui pode ter. Lindo, não? Não é à toa que me fascinou.

Como extras, encontramos as histórias Utilliyt, ilustrada por Byun Byung-Jun, e O Mar, com os traços de Lee-Vin. A primeira mostra a perspectiva de crianças principalmente sobre a vida e a morte, se passando na Coréia dos tempos atuais. Desenhos um tanto perturbadores, que tornam a história ainda mais especial e um tanto psicótica. Ótima. Já a segunda mostra uma história simples, com traços simples e belos, mas com uma trama nem de perto tão elaborada quanto as demais. Mas podemos dizer que é bonitinha.

Enfim, Dejá-Vù é um ótimo manhwa, com uma idéia que considerei muito bacana, de contar uma única história através de várias outras. E não seria o mesmo se a história não fosse ilustrada por artistas diferentes. Isso com certeza conferiu um toque especial à obra completa.

2 comentários:

BozoDel disse...

É "déjà vu".

Alemão disse...

Como conversamos hoje de manhã, Bozo, realmente, a grafia correta é "déjà vu". No entanto, retirei o título acentuado dessa maneira do próprio editorial do manhwa.